Jogos indie: cases e trabalhos acadêmicos do autor

Alaska Thunderfuck ao fundo e texto branco em primeiro plano "850 downloads, 8h de dev"

É comum que nós, desenvolvedores de jogos indie, foquemos em aprender e aprimorar nossos projetos apenas atuando no mercado. No entanto, a academia oferece metodologias e processos para praticarmos e/ou refletirmos sobre o que acontece na indústria de games. Por esse ângulo, como meu autor trabalha tanto no mercado quanto no ambiente acadêmico, uma nova sessão foi implementada em nosso blog. Na aba “Artigos e Post Mortem” estarão disponíveis artigos científicos publicados em eventos de jogos digitais e também post mortem (trabalhos os quais trazem as lições aprendidas durante o desenvolvimento de um projeto) produzidos por ele.

Convido a todos para conferirem, principalmente, o post mortem do game Drag Quiz (link da apresentação aqui), um jogo de perguntas e respostas desenvolvido em cerca de oito horas. Dentre os resultados obtidos, destacam-se a validação de temática em um nicho de mercado (homens gays com idade entre 18 a 24 anos que têm interesse em Rupaul’s Drag Race), o alcance de 850 downloads orgânicos no primeiro mês e a formação de uma comunidade com cerca de 60 indivíduos. O jogo foi lançado no Brasil apenas para Android.

Para os interessados em trabalhos acadêmicos e para aqueles que acreditam no poder dos games como ferramenta para mudança social, é interessante uma leitura no texto The Magic Wardrobe​ – a subversão da metáfora “sair do armário” como um artefato de resistëncia e luta em um jogo digital. Tal artigo aborda assuntos como o conceito de jogo como discurso, design consciente, além de apresentar uma proposta de uma narrativa visando a subversão da metáfora “sair do armário”. No ano de 2018, conquistou o primeiro lugar na Trilha da Cultura no SBGames 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *